[cmi-curitiba] Famílias de catadores ocupam terreno na CIC

jf jf-ctba em riseup.net
Sexta Setembro 8 11:50:11 PDT 2006


Famílias de catadores ocupam terreno na CIC
http://www.parana-online.com.br/noticias/index.php?op=ver&id=230613&caderno=3


Cintia Végas [08/09/2006]


Foto: Lucimar do Carmo/O Estado

Polícia Militar acompanhou toda a ação dos catadores na CIC.
Quinze famílias, em um total de quarenta pessoas, integrantes da 
Associação de Catadores de Materiais Recicláveis Novo Amanhecer, 
ocuparam ontem, no início da manhã, um terreno da Fundepar localizado na 
Rua Luiz Valenza, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). No local, 
existe um barracão onde a associação deseja instalar sua central de 
coletas de produtos a serem reciclados. “A ocupação da área tem como 
objetivo forçar uma negociação com o governo do Estado, para que o mesmo 
permita que o barracão seja utilizado como central. A associação é 
composta de 45 famílias carentes, que precisam de um lugar para 
exercerem suas atividades de trabalho”, disse o integrante da 
organização não governamental Centro de Pesquisa e Apoio aos 
Trabalhadores, que apoia as iniciativas da associação, César Sanson.

Segundo a presidente da associação, Maria de Lourdes Souza, a entidade 
tinha um barracão, localizado na Rua Cid Campêlo, também na CIC. Porém, 
seus integrantes não estão mais conseguindo arcar com o aluguel do 
espaço. “O aluguel é de R$ 500 e não estamos dando conta de pagá-lo”, 
afirmou.

Um empresa terceirizada de vigilância e diretores da Fundepar presentes 
no local, acionaram a Polícia Militar com o objetivo de desocupar o 
imóvel. Após a chegada de uma equipe de advogados da ONG Terra de 
Direitos, foi negociada a realização de uma reunião, na próxima 
segunda-feira, com a diretora-geral da Fundepar, Sandra Turra. A 
ocupação prossegue até, pelo menos, o final desta reunião. Os catadores 
de papel aceitam discutir a possibilidade de um convênio com algum órgão 
ligado ao governo ou à Prefeitura de Curitiba.



Mais detalhes sobre a lista de discussão Cmi-curitiba