[cmi-goiania] Greve - Salário de professores continua retido

anarquico em resist.ca anarquico em resist.ca
Quarta Julho 6 11:01:57 PDT 2005


Tá rolando a greve dos professores estaduais já há algum tempo. O TJ está
retendo os salários dos professores e o governo não quer negociar,
pressionando pelo fim da greve. Nosso amigo Marcão poderia nos dar mais
info, já que é professor estadual e certamente apoia a greve.
té
roqueto



GREVE
Salário de professores continua retido

Almiro Marcos

O Tribunal de Justiça (TJ) manteve ontem a retenção dos salários de junho
dos servidores em greve na Educação estadual. O Conselho Estadual de
Educação intermediou ontem uma reunião entre o Sindicato dos Trabalhadores
em Educação do Estado de Goiás (Sintego) e a Secretaria Estadual de
Educação (SEE). Não houve avanço e novo encontro foi marcado para
sexta-feira. O sindicato recomenda aos professores que mantenham o
movimento grevista, enquanto a secretaria orienta os servidores a
retornarem ao trabalho. O Ministério Público (MP) quer que a secretaria
apresente ainda esta semana um calendário de reposição das aulas,
suspensas desde o início de junho.

O Sintego havia entrado com um pedido de liminar na segunda-feira
solicitando a liberação do pagamento do salário dos grevistas. No mandado
de segurança, o sindicato justificou que a greve é direito e não delito.
No entanto, o desembargador Kisleu Dias Maciel Filho negou o pedido. Ele
justificou em sua decisão que a greve tem suas conseqüências e ônus,
“assumindo os grevistas, por isso, os riscos da empreitada”.

Os telefones do Núcleo de Defesa do Cidadão do Ministério Público não
pararam de tocar desde o início da semana. Os telefonemas são de pais de
alunos indecisos sobre o retorno ou não às aulas: o Sintego mantém o
movimento, a secretaria informa que as aulas serão retomadas. O MP entrou
no caso e solicitou ao Conselho de Educação que interferisse. O conselho
intermediou a reunião entre secretaria e Sintego, que não resolveu a
situação.







Mais detalhes sobre a lista de discussão cmi-goiania