[Imc-portugal] protocolo facultativo

Toni toni azine.org
Segunda-Feira, 31 de Janeiro de 2005 - 16:27:08 PST


bota pa la.

depois sera necessario ver como se faz isso. mas, para ja, escreve-lhe a
demonstrar disponibilidade

beijocas
toni

A Seg, 2005-01-31 às 00:01, noosfera  azine.org escreveu:
> Buenas
> 
> Se todas já leram os anexos enviados e se estão de acordo em oferecer a nossa
> colaboração à ACED, proponho que se envie ao António Pedro Dores o seguinte
> mail:
> 
> Caro António,
> 
> O colectivo de voluntári  s do Indymedia Portugal tomou conhecimento da proposta
> da coordenadora de associações.
> 
> podem contar connosco para integrar uma coordenadora a nível peninsular e na
> nossa qualidade de meio de informação alternativo e livre, para acompanhar e
> divulgar a iniciativa.
> 
> Pelo CMI.pt,
> 
> um abraço solidário
> 
> noosfera
> 
> 
> 
> 
> 
> 
> 
> Quoting noosfera  azine.org:
> 
> > acho que deveríamos considerar, enquanto indymedia, a proposta descrita neste
> > mail,
> >
> > beijos
> >
> > noosfera
> >
> > ----- Forwarded message from António Pedro Dores <antonio.dores  iscte.pt>
> > -----
> >     Date: Fri, 28 Jan 2005 16:57:41 -0000
> >     From: António Pedro Dores <antonio.dores  iscte.pt>
> > Reply-To: António Pedro Dores <antonio.dores  iscte.pt>
> >  Subject: FW: protocolo facultativo
> >       To: António Pedro Dores <antonio.dores  iscte.pt>
> >
> > Caros amigos,
> >
> >
> >
> > Recebi esta proposta de amigos da Galiza.
> >
> > Será que a ACED tem forças para organizar uma aliança suficientemente
> > disponível para acompanhar o movimento em Espanha?
> >
> > Trata-se de encontrar um grupo de pessoas com alguma disponibilidade para
> > acompanhar o processo e alargá-lo a outras associações e entidades.
> >
> > Numa primeira fase, posso receber declarações de disponibilidade e interesse
> > por esta causa. De seguida, para meados de Fevereiro, deveríamos definir uma
> > estratégia de actuação em conjunto  através de uma troca de emails ou de
> > uma reunião presencial. E agir em conformidade para que dia 26 de Junho algo
> > possa acontecer em Portugal no mesmo sentido do que irá acontecer em
> > Espanha.
> >
> >
> >
> > Raramente a ACED pede alguma coisa aos seus amigos. Não há desculpas para
> > não nos unirmos desta vez.
> >
> >
> >
> > Cá vos aguardo, com simpatia e disponibilidade.
> >
> >
> >
> > APD
> >
> >
> >
> >
> >
> >   _____
> >
> > From: esculca [mailto:esculca  esculca.net]
> > Sent: sexta-feira, 28 de Janeiro de 2005 16:49
> > To: António Pedro Dores
> > Subject: protocolo facultativo
> >
> >
> >
> > António, antes de mais nada tenho de pedir imensas desculpas por ter
> > demorado tanto a resposta, mas já sabes como é isto do trabalho
> > associativo/voluntário.
> >
> >
> >
> > Como já disse no primeiro contacto, estamos a organizar o que chamamos a
> > COORDENADORA PARA A PREVENÇAO DA TORTURA (Iniciativa pelo Protocolo
> > Facultativo das Naçoes Unidas).
> >
> >
> >
> > Bem, nesta altura somos um grupo relativamente numeroso (25 associaçoes) de
> > todo o Estado Espanhol. Envio o texto que será algo assim como a
> > apresentaçao pública da campanha (o texto será editado em todas as línguas
> > do EE) e a relaçao provisória de grupos que participarao. Teremos, claro, um
> > cartaz e uma página web para as adesoes.
> >
> > A campanha que preparamos baseia-se em entrevistas com responsáveis dos
> > poderes públicos e o que pretendemos nao é apenas que o EE assine (já
> > anunciou que o faria) e ratifique (ainda nao disse nada) o Protocolo.
> > Queremos tb. que o processo seja transparente, que nao se marginalizem as
> > associaçoes de direitos humanos e liberdades públicas, que nao se faça um
> > simulacro de controlo social sem efectividade nenhuma.
> >
> > Um ponto importante da campanha será o 26 de Junho (dia internacional contra
> > a Tortura). Pretendemos fazer o maior número de actos públicos possível
> > (teatro, música, etc.), para combinar as entrevistas com as autoridades e as
> > charlas com actuaçoes que cheguem a outro tipo de público.
> >
> > Bem, pois agora nao estaria mal que aí, em Portugal houvesse tb. uma
> > coordenadora para fazermos força todos juntos. Ou que algumas associaçoes
> > portuguesas figessem parte desta campanha que bem poderia ser peninsular.
> > Repara que o próprio Estado Espanhol é plural quanto a línguas e culturas di
> > respeito e nós, galegos, ainda estamos mais perto de vós que doutras
> > comunidades.
> >
> >
> >
> > E mais uma vez, desculpa esta demora, por favor.
> >
> >
> >
> > Um saúdo muito cordial.
> >
> >
> >
> > Elvira Souto (secretária de Esculca)
> >
> >
> >
> > PS: vai tb. o texto que enviamos a Durao Barroso e Borrell para que o
> > torturador do futuro Attorney General nom seja bem vindo por cá.
> >
> >
> > ----- End forwarded message -----
> >
> >
> >
> >
> 
> 
> 
> _______________________________________________
> Imc-portugal mailing list
> Imc-portugal  lists.indymedia.org
> http://lists.indymedia.org/mailman/listinfo/imc-portugal
> 
> 




Mais informações acerca da lista Imc-portugal